Um professor diferente  "malucão", intérprete e compositor - que faz todos os alunos cantarem nas salas de aula e revoluciona o ensino da física. Nascia há alguns anos atrás na pequena e pacata cidade de Laranjal(interior de Minas Gerais), mais precisamente no dia 29/07/59, o professor mais bonito do Brasil ,José Inácio da Silva Pereira, o Pachecão. Em Laranjal, viveu toda a sua inspirada infância e um pouco da sua interminável juventude. Aos 16 anos abandona Laranjal e vai estudar em Campos-RJ (Colégio Agricola Antônio Sarlo ), terminado o colegial tenta vestibular para Agronomia em Alegre-ES e em mais cinco outras universidades, não conseguindo sucesso volta para o Rio de Janeiro para estudar em   cursinho e no outro ano vai para São Paulo, onde é aprovado no vestibular para Engenharia Química, época que mais estudou em sua vida (16 horas por dia), dois anos depois abandona o curso e segue para Belo Horizonte, onde cursou Engenharia Mecânica na PUC-Minas e vive até hoje.

Começa a dar aulas em 82, como monitor de Física na PUC e no curso pré-vestibular Palomar, em Belo Horizonte.Naquela época, o então plantonista "zezinho"(antigo apelido de Pachecão) fazia muito sucesso entre os alunos, devido a sua espontaneidade ao tirar suas dúvidas."Quando morava em Laranjal, fui ensinar minha mãe como chegar a determinado lugar e ela se impressionou com a facilidade em que a expliquei e brincando falou comigo que eu daria certo como professor."diz ele. Conhecido pelo seu jeito extrovertido de dar aula , Pachecão conseguiu quebrar o "taboo" existente entre professor e aluno."Nos colégios por onde passei convivi com professores bravíssimos, professoras que mal sorriam e quando isto faziam mal abriam a boca, foi somente nos cursinhos que conheci professores legais que me despertaram o prazer em aprender ." comenta. Decidiu ser professor de cursinho no último dia de aula, quando foi convidado para cantar "Trem das Onze" na sala com o seu professor, "...a energia daquela galera me contagiou, não esqueço nunca, foi uma experiência maravilhosa ." lembra.

Como todo jovem, ele também teve que passar pelo vestibular, prestou em várias cidades do Brasil, 13 vezes no total (o quê?! ), conseguindo sua primeira aprovação em 59º lugar." Foi fantástico, tinha um cara pior do que eu na sala, eram 60 alunos. Tudo que esse cara pensava eu pedia pra ele falar pra mim primeiramente, para fazer uma análise do que ele estava pensando, pois eu era melhor do que ele."lembra .Em sua primeira aula como professor de cursinho pré-vestibular, Pachecão recebeu a "árdua" missão de ensinar uma turma na qual o último professor empregado, havia pedido demissão do cargo, pois não conseguia dar aulas naquela turma "Entrei na sala, e foi aquele agito - queda de braço, bolinhas de papel, buchas de papel molhado no quadro, arrasto de carteiras,enfim, foi um delírio geral e eu alí. Apaguei o quadro, peguei a lixeira e dei um bico pro fundo da sala e um outro bico no armário de lata perto do quadro, nisto a galera parou, subí na mesa e pensei: posso ser mandado embora sem sequer dar uma aula mas isso aqui não vai ficar assim não , cantei Piranhão e a galera aplaudiu...cadernos voaram, livros foram chutados, carteiras entortadas, por um instante pensei: O que estou fazendo aqui, cara?! Nunca vi isso antes, meu Deus! Aula mesmo não teve, ficamos conversando e nos tornamos amigos, dai pra frente nossa convivência foi harmoniosa, mas todos os dias tinha que cantar uma música, então pensei em unir o últil ao agradável,como os alunos gostavam de me ver cantar,porque não cantar músicas de física?! E foi o que fiz,comecei a compor depois desse dia".

Devido a boa aceitação de suas músicas entre os alunos, Pachecão resolveu lançar um disco ( Teoricamente Práticos ), com duas faixas "Piranhão" e "Amor, mete ou late" ."Como sou professor de física, por onde passava, as pessoas me perguntavam, se era um disco sobre a matéria. Resolvi então fazer um CD, com as músicas sobre Física..."conta. Surgiu então "Odeio Física"(CD cujo o título é sempre mencionando pelos jovens do mundo inteiro, quando são perguntados o que acham da matéria.) trás músicas que ensinam as "chatas" fórmulas e exercícios de Física. "Nos vestibulares , sempre sou procurado por alunos que dizem ter lembrado das músicas para resolver as questões da prova...isso é maravilhoso".Um ano após o sucesso do primeiro CD,Pachecão lança Adoro Física "Apesar do nome ser o contrário do primeiro,o objetivo do disco é o mesmo,ajudar meus alunos a aprenderem física  de uma forma mais dinâmica."

Nos dias de hoje,as dicas do mestre Pacheco e de outros grandes professores deste país, podem ser aprendidas numa brincadeira. Foi lançado"O Jogo do Vestibular" pela Estrela , onde jovens ou até mesmo crianças podem ampliar seus conhecimentos, respondendo perguntas inéditas sobre todas as matérias, de um modo bastante interativo." Está em todas as lojas do ramo e é um jogo muito interessante, nele os estudantes aprendem brincando,como nas aulas do Pachecão."diz o próprio.

Texto: Pachecão / Ricardo Bello

 

Página desenvolvida por Ricardo Bello